Sensus fecha última pesquisa: Aécio 52,1% x Dilma 47,9%

Diário de Poder

Na última pesquisa, Sensus (a exemplo do MDA) aponta virada de Aécio

Instituto Sensus realizou a última pesquisa de intenção de votos para presidente, fechada há pouco, indicando liderança do candidato do PSDB, Aécio Neves, com 52,1% dos votos válidos. A sua oponente Dilma Rousseff (PT), segundo o Sensus, soma 47,9% dos votos válidos. Contratado pela revista IstoÉ, o levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob nº 01193/2014.

Ao contrário de todos os demais institutos de pesquisa do País, como Datafolha, MDA e Ibope, que apontavam para Marina Silva (PSB) disputando o segundo turno com a candidata do PT, o Sensus foi o único a captar o crescimento de Aécio, na reta final, sobretudo após o debate da Rede Globo, indicando que ele estaria no segundo turno, como de fato aconteceu.

Computando-se todas as intenções de voto, inclusive brancos e nulos, Aécio tem 45,7%, contra 42% de Dilma. Indecisos, brancos e nulos somam 12,4%. As entrevistas foram realizadas nesta sexta-feira (24) e hoje, e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais e para menos.

O levantamento do Sensus confirma outra pesquisa, divulgada mais cedo pela CNT/MDA, segundo a qual Aécio Neves passou à frente da candidata petista. Ele agora somaria 50,3% das intenções de votos válidos contra 49,7% de Dilma. Na última pesquisa CNT/MDA, divulgada no dia 20 de outubro, Dilma aparecia com 50,5% dos votos válidos, contra 49,5% de Aécio.

A intenção de votos espontânea mostra os candidatos empatados tecnicamente. Aécio tem 44,4% dos votos e Dilma, 43,3%. Na pesquisa estimulada os números vão a 45,3% para o tucano e 44,7% para a candidata à reeleição.

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

CNT mostra Aécio com 50,3% e Dilma com 49,7% dos votos válidos

Pesquisa CNT/MDA, divulgada na manhã deste sábado (25/10), mostra o candidato do PSDB, Aécio Neves, na frente da corrida presidencial, mas tecnicamente empatado com a candidata do PT, a presidente Dilma Rousseff.

Considerando apenas os votos válidos, o tucano tem 50,3% das intenções de voto diante 49,7% da petista. No montante global, considerando o percentual de indecisos, brancos e nulos, Aécio foi o escolhido de 45,3% dos entrevistados e Dilma, de 44,7%.

Na pesquisa anterior, feita entre os dias 18 e 19, Dilma aparecia na frente, com 50,5% dos votos válidos. Aécio tinha 44,5%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, com grau de confiança de 95%. A CNT/MDA entrevistou 2.002 pessoas de 23 a 24 de outubro, em 137 municípios de 25 unidades da federação.

A sondagem também calculou a rejeição de cada candidato. A presidente Dilma é a que tem o maior índice, com 43,3%. O percentual de entrevistados que disse que a petista é a única em que votariam é de 37,9% e o índice dos que disseram que poderiam votar nela é de 17,3%. O tucano tem uma taxa de rejeição de 42,8% e é o único em que 38,4% votariam. O indicador dos que poderiam votar nele é de 16,3%.

Fonte: Correio Braziliense

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Dunga será o novo técnico da Seleção Brasileira

Após o fracasso da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, quando caiu nas semifinais sendo humilhada por 7 a 1 pela Alemanha e perdeu a disputa do terceiro lugar para a Holanda, Luiz Felipe Scolari foi demitido do cargo de técnico. Sem Felipão, a CBF deverá anunciar na terça-feira (22) o nome de um velho conhecido da Seleção: Dunga. A informação é do site Globoesporte.com.
Demitido após a eliminação do Brasil na Copa de 2010, na África do Sul, Dunga terá mais uma oportunidade de comandar a Seleção Brasileira. O acerto de Dunga com a CBF já era dado como certo.
Após comandar a Seleção Brasileira, Dunga assumiu o Internacional, onde não teve sucesso. Em sua primeira passagem pela Seleção como treinador, Dunga disputou 60 partidas. Foram 42 vitórias, 12 empates e apenas seis derrotas.
Do Imirante.com

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Holanda disputa o 3º lugar com o Brasil


Equipe europeia perdeu mais uma vez a chance de conquistar o 1º título. Na última Copa, o Brasil caiu diante dos holandeses. Jogo será às 17h do sábado, em Brasília. (Do G1).

Do blog Neto Ferreira 


Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

TRAGÉDIA: Excursão com evangélicos termina com três mortes por afogamento

Uma excursão com evangélicos terminou em tragédia ontem domingo (10). O grupo saiu de Vitorino Freire para o Pesque & Pague do Valdemar, ponto turístico em Olho d’Água das Cunhãs-MA e três pessoas morreram afogadas ao caírem de uma canoa.
Segundo informações da polícia, que divulgou somente as iniciais dos nomes, Simeone, Rangel e Maria Costa, os três estavam em uma canoa no açude quando a embarcação virou para o lado mais fundo e nenhum deles conseguiu nadar até a superfície. 
Os corpos dos três só foram encontrados no fim da tarde e em seguida encaminhados para Vitorino Freire. 
Todas as três vítimas eram da Igreja Batista de Vitorino Freire e segundo informações, os irmãos Simeone e Maria Costa, de idades entre 18 e 20 anos, comemoravam em família o noivado de Rangel e Maria.
Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Quem acerta todo o Enem não tira nota 1.000; entenda como é o cálculo

Mais de 7,1 milhões de estudantes farão neste sábado (26) e domingo (27) a maior edição Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), um número recorde para concursos e vestibulares brasileiros. Porém, ao contrário dos processos seletivos tradicionais, as provas de múltipla escola do Enem são elaboradas segundo uma metodologia que vai além da simples soma de acertos das questões. Chamada de Teoria de Resposta ao Item, ou TRI, a metodologia confunde muitos candidatos acostumados com outros vestibulares, mas é considerada pelos especialistas como a forma mais adequada de avaliar um grande número de estudantes.

Uma das principais dúvidas sobre a TRI é o fato de que é impossível o aluno tirar nota 1.000 na prova de múltipla escolha (na redação, isso é possível). Por meio dessa metodologia, mesmo que o aluno acerte todas as 45 questões de cada prova, sua nota nunca será 1.000. Da mesma forma, um candidato que erre todas as questões não acaba com a nota zero (ou, no caso do Enem, a pontuação mínima, que é 200 pontos). Isso acontece, segundo Tadeu da Ponte, professor do Insper, porque a nota não retrata o desempenho individual do candidato, mas a posição que ele ocupou na escala de proficiência onde todos os milhões de outros candidatos também são incluídos.


“A nota 1.000 é como se fosse o infinito da escala, e ninguém vai ter uma habilidade que nunca possa ser superada por outros”, diz Tadeu, que também é sócio-fundador da empresa de avaliação educacional Primeira Escolha. Mesmo que todos os candidatos acertassem todas as questões, explica ele, a nota média seria próxima de 1.000, mas a nota 1.000 é uma meta jamais alcançável.
Renato Júdice, professor e diretor acadêmico do Uno Internacional lembra que “as escalas de proficiências são como uma reta numérica, ou seja, os números representam posições”. É por isso que, ao divulgar o resultado do Enem, o Ministério da Educação também informa as notas máxima e mínima de cada prova –são elas que indicam os candidatos mais proficientes e os menos proficientes.
Essa escala, segundo ele, é uma forma “poderosa” de avaliação do candidato, pois as diferentes posições na escala indicam os diferentes níveis de proficiência. Quanto mais próximo da nota mínima, menos se pode confiar que o estudante domina os conhecimentos exigidos na prova, assim como a previsão do tempo indica os diferentes níveis de frio e calor na escala Celsius.
Você pode tomar decisões pedagógicas [com base na nota do Enem] assim como toma a decisão ao arrumar uma mala com base na temperatura.”
Isso pode parecer injusto, a princípio, com alguém que tenha acertado muitas questões. Porém, o professor Tadeu afirma que, se um exame com 7 milhões de candidatos os avaliasse apenas na porcentagem de acertos nas 180 questões totais das provas, haveria um número muito grande de empates que colocariam no mesmo nível pessoas que, na realidade, apresentam proficiência diferente.
Para explicar essa diferença, ele dá como exemplo uma fita métrica marcada apenas como centímetros, que seria o vestibular tradicional, e outra, mais detalhada, que também mede os milímetros. Se a prova medisse a altura dos candidatos, com a primeira fita métrica haveria muitos deles empatados em 177 centímetros, por exemplo. Mas, usando a fita métrica com milímetros, seria possível perceber que alguns são mais altos que outros. “A TRI pega fita métrica de milímetros”, explica Tadeu.
É impossível calcular a própria nota
Como o cálculo da nota de um aluno no exame não depende só de seus acertos, os candidatos do Enem reclamam que é impossível calcular sua própria nota comparando as respostas com o gabarito oficial e, quando chega o resultado, criticam o fato de colegas com números semelhantes de acertos terem recebido uma pontuação diferente.

“O Inep não quer contar quantas questões o aluno acerta, quer saber a competência do aluno em matemática, em linguagens, em várias áreas”, afirma o professor Renato. Júdice explica que, além da quantidade de questões certas em relação ao total, o Enem também avalia quais questões o candidato acertou, quais questões ele errou e quais foram as respostas dos outros candidatos para as mesmas questões.
Para fazer isso, o Inep “calibra” todas as questões do Enem antes de elaborar as provas em eventos conhecidos como pré-teste, quando as questões são aplicadas a centenas de alunos e o resultado indica seu grau de dificuldade a partir da porcentagem de acertos. Quanto menos alunos acertarem a questão, mais difícil ela é.
Assim, o exame se torna “comparável”. Isso quer dizer que é possível comparar notas de candidatos de uma edição do Enem com as notas de outras edições, porque o nível de todas as edições é similar.
Questões com pesos diferentes
De acordo com os especialistas em TRI, não é só o nível de dificuldade das questões certas que determina a pontuação recebida pelo aluno. O valor que ele recebe em cada acerto é definido segundo o perfil de erros e acertos do aluno em toda a prova. A Teoria de Resposta ao Item, explica Tadeu, usa um modelo estatístico para categorizar os candidatos de acordo com seu padrão de respostas nas 45 questões.

Se o candidato acerta apenas as questões consideradas fáceis no processo de calibragem e apenas uma questão considerada difícil, o modelo estatístico reconhece uma probabilidade de que ele a acertou por acaso, e não pode ter domínio daquela área do conhecimento. Por isso, não é possível dizer simplesmente que questões mais difíceis valem mais, porque o valor de cada questão depende do perfil de cada aluno. O modelo funciona, segundo os professores, porque, estatisticamente, os alunos que acertam mais questões consideradas difíceis também acertam questões mais fáceis.
Então, a nota final vai depender do perfil do aluno (seu padrão de respostas dentro da escala onde estão todos os outros alunos) e do perfil da questão que ele acerta (seu grau de dificuldade calculado a partir do índice de acerto de todos os alunos).
“Quando tenho um conjunto de respostas não de um só aluno, mas dos 7 milhões, eu pego esse conjunto de respostas e rodo um software específico, que usa um cálculo computacional, para tentar estimar, com esse padrão de respostas, qual é a nota de cada um”, explica Renato Júdice. Segundo ele, a estimativa é feita em conjunto com um grupo como um todo, e leva em consideração o tipo de aluno e o tipo de questão, pois a metodologia permite conhecer cada questão que vai para a prova.
Tadeu da Ponte diz que a TRI consegue ser aplicada em provas que tenham a partir de 25 questões, aproximadamente. No caso do Enem, ele afirma que 45 questões em cada prova “é um número muito bom para fazer esse procedimento estatístico”. O motivo, segundo ele, é o fato de o Enem avaliar um espectro muito amplo de estudantes, “mesmo um aluno com baixa proficiência até aluno que está entrando em medicina”.

ESCALA DE NOTAS DO ENEM 2012
PROVA NOTA MÍNIMA NOTA MÁXIMA
Ciências humanas e suas tecnologias 295,6 874,9
Ciências da natureza e suas tecnologias 303,1 864,9
Linguagens e códigos e suas tecnologias 295,2 817,9
Matemática e suas tecnologias 277,2 955,2
Redação* 0 1.000
Fonte: MEC/Inep
*Como não usa a metodologia TRI, a prova de redação pode ter nota 0 ou 1.000 porque ela é calculada apenas com base no desempenho individual
Chutar X deixar em branco

Ainda que o programa de computador consiga detectar a probabilidade de o candidato ter chutado determinada questão, ele ainda recebe pontos ao acertá-la, mesmo que por acaso. Não são tantos pontos quantos receberia outro aluno com padrão de acertos diferente, mas ainda assim o candidato não é penalizado por chutar.

“Deixar em branco é errar”, afirma Tadeu. Ele explica que, ao chutar em uma questão que ele não sabe responder, o aluno tem 20% de chance de acertar. “Mas se eu deixar em branco tenho 100% de certeza que vou errar.”
Mas, para quem pretende tentar identificar as questões difíceis na hora de fazer a prova, os dois professores recomendam evitar perder tempo nessa tarefa, e se dedicar exclusivamente a responder todas as questões o mais rápido possível, mas com concentração.
“Mais importante do que ficar tentando adivinhar o nível de dificuldade [de cada questão] é monitorar o tempo em cada questão. Se tem que gastar três minutos em cada questão, e eu tô gastando dez em uma questão, então está errado, e corro o risco de nem conseguir ler questões que sei responder”, sugere Tadeu.
“Não adianta deixar as fáceis para depois, o aluno tem que estar bem preparado. O preventivo é o melhor remédio”, diz Renato.
Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Enem 2013 será aplicado neste final de semana; fique atento ao horário

Do Terra
Mais de 7,1 milhões de candidatos se inscreveram para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será aplicado neste final de semana. Criado pelo governo federal em 1998, o Enem é atualmente a principal porta de entrada no ensino superior. As provas serão aplicadas em todo o País a partir das 13h (horário de Brasília) – Terra, em parceria com o Cursinho da Poli, corrige as questões nos dois dias.
Por causa do horário de verão, que começou no último dia 20 nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o Brasil passou a ter três fusos horários, portanto o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo exame, recomenda atenção dos candidatos.
Veja os horários das provas em cada Estado

HORÁRIO DE BRASÍLIA
INÍCIO ÀS 13H
MENOS 1 HORA DE BRASÍLIA
INÍCIO ÀS 12H
MENOS 2 HORAS DE BRASÍLIA
INÍCIO ÀS 11H
Rio Grande do Sul Alagoas Acre
Santa Catarina Amapá Amazonas
Paraná Ceará Roraima
Minas Gerais Maranhão Rondônia
Espírito Santo  Mato Grosso do Sul
Rio de Janeiro Mato Grosso
São Paulo Tocantins
Distrito Federal Pernambuco
Goiás Pará
Piauí
Rio Grande do Norte
Sergipe
Paraíba
Bahia

















Em 18 Estados, os estudantes farão as provas em horário diferente do de Brasília, o que representa 3.528.114 de candidatos do total 7.173.574 inscritos. Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima terão a abertura dos portões às 10h e o fechamento às 11h pelo horário local. Em outros 14 Estados, os portões serão abertos às 11h e fechados às 12h, no horário local. Oito Estados seguem o horário oficial de Brasília.
Assim como nos últimos anos, serão quatro provas objetivas, contendo, cada uma, 45 questões de múltipla escolha, e uma redação. No primeiro dia, sábado, serão realizadas as provas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, com duração de 4 horas e 30 minutos, contadas a partir da autorização do aplicador. No segundo dia, domingo, serão realizadas as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Matemática e suas Tecnologias, com duração de 5 horas e 30 minutos.
É obrigatória a apresentação de documento com foto no dia da prova. Os candidatos devem observar a data de validade do documento, que não pode estar vencida.
No dia do exame serão aceitos os seguintes documentos: Cédula de identidade (RG) expedida por Secretarias de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar, pela Polícia Federal; a identidade expedida pelo Ministério das Relações Exteriores para estrangeiros; a identificação fornecida por ordens ou conselhos de classes que por Lei tenham validade como documento de identidade; a Carteira de Trabalho e Previdência Social; o Certificado de Reservista; o Passaporte e a Carteira Nacional de Habilitação com fotografia, na forma da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997.
O Inep informa que não serão aceitas Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento, Título Eleitoral, Carteira Nacional de Habilitação em modelo anterior à Lei nº 9.503/97, Carteira de Estudante, crachás e identidade funcional de natureza privada, nem documentos ilegíveis, não identificáveis e/ou danificados, ou, ainda, cópia de documentos, mesmo que autenticadas.
Se o documento estiver vencido ou não for possível a identificação através da foto, o participante poderá realizar as provas, desde que se submeta à identificação especial, que compreende a coleta de dados e assinatura em formulário próprio. No caso de roubo, extravio ou perda, deverá ser apresentado o Boletim de Ocorrência expedido por órgão policial e emitido há, no máximo, 90 dias da data de realização das provas e seja feita a identificação especial, com a coleta de dados e assinatura em formulário próprio.
Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados na página do Inep na internet até o dia 30 de outubro. Os participantes poderão acessar os resultados individuais da edição do Enem 2013, em data a ser posteriormente divulgada, mediante inserção do número de inscrição e senha ou CPF e senha.
O edital do Enem lista as proibições que, caso sejam desobedecidas, estão sob pena de eliminação. Fique por dentro de todas as regras para não correr o risco de ter a sua prova anulada:
O que não pode levar:
Não é permitido portar lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borrachas, livros, manuais, impressos, anotações e quaisquer dispositivos eletrônicos. Por exemplo: calculadora, celular, tablet, ipod, ipad, pendrives, mp3players, gravadores, relógios ou qualquer tipo de receptor ou transmissor de dados ou mensagens;
Não deixe nenhum objeto eletrônico no seu bolso. Se você levar algum desses objetos no dia da prova deverá guardar na embalagem que será fornecida pelo aplicador. Se for pego com eles durante a prova, ainda que não os esteja utilizando, poderá ser eliminado;
Também não é permitido usar óculos escuros, boné, chapéus, gorros ou viseiras;
Armas de fogo também estão proibidas na sala de prova, mesmo que o candidato tenha porte de arma;
A embalagem porta-objetos deverá ser lacrada, identificada pelo participante e mantida embaixo da carteira até a conclusão da prova.
O que não pode fazer:
O participante não poderá realizar qualquer espécie de consulta ou comunicar-se com outros candidatos durante as provas;
É expressamente proibido ao participante receber quaisquer informações referentes ao conteúdo das provas de qualquer membro da equipe de aplicação do exame;
Não será permitido ao candidato, durante a realização da prova, fazer anotações relativas às suas respostas em quaisquer meios;
O participante não pode deixar a sala antes de duas horas do início das provas.
O que não pode esquecer:
Assim que começar o exame, é importante conferir se não está faltando nenhuma página no seu caderno de provas;
As respostas das provas objetivas e o texto da redação deverão ser transcritas, com caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, nos respectivos cartões-resposta e Folha de Redação, que deverão ser entregues ao aplicador da sua sala ao término das provas;
As provas do Enem têm diferentes cores – conteúdo é o mesmo, o que muda é a ordem em que as questões aparecem. Não esqueça de marcar no cartão de respostas a cor do caderno de provas que você recebeu. Sem essa informação é impossível fazer a correção do gabarito que você marcou e a nota será zero;
Não se esqueça de assinar, nos espaços próprios, o Cartão-Resposta referente a cada dia de provas, a Folha de Redação, a Lista de Presença, a Folha de Rascunho e os demais documentos do exame;
Na capa do caderno de provas também estará escrita uma frase que você deve transcrever no cartão de resposta. Não esqueça de escrever a frase, caso contrário também será eliminado. Esse é um procedimento de segurança para conferir se a grafia bate com a da assinatura do candidato no documento de identidade.
Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Câmara federal aprova minirreforma eleitoral

O Plenário concluiu nesta terça-feira (22) a votação do projeto de lei da minirreforma eleitoral (PL 6397/13, do Senado), que altera normas para a propaganda eleitoral na TV e na internet e simplifica a prestação de contas dos partidos. O texto aprovado é um substitutivo do relator, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), alterado por emendas e destaques.
Devido às mudanças, a matéria retorna ao Senado. O texto estabelece, ainda, como a Justiça deverá analisar as contas de campanha, limitando o poder de auditoria da Justiça Eleitoral sobre a contabilidade, a prestação de contas e as despesas de campanha eleitoral dos partidos. A Justiça deverá fazer apenas o exame formal dos documentos contábeis e fiscais apresentados pelos partidos políticos. Hoje, não há esse limite na Lei Eleitoral. Nas votações desta terça, o Plenário rejeitou destaque do PT que pretendia manter, na legislação atual, a permissão para propaganda em bens particulares. O destaque foi rejeitado por 162 votos a 127.
Assim, o texto aprovado pela Câmara proíbe a propaganda eleitoral em bens particulares com placas, faixas, cartazes, bandeiras, pinturas, cavaletes e bonecos. Será permitido apenas o uso de adesivos, limitados ao tamanho de 50×40 cm. Em carros, a propaganda poderá ocorrer apenas com adesivos microperfurados fixados nos para-brisas traseiros. Nas vias públicas, será permitido o uso de bandeiras e de mesas para distribuição de material, contanto que não dificultem o trânsito de pessoas e veículos. A proposta permite que os comícios de encerramento da campanha durem até as 2h da manhã, mas os demais devem ser realizados entre 8h e 24h.
O texto libera os carros de som e minitrios elétricos, desde que observado o limite de 80 decibéis medido a 7 metros de distância do veículo (para efeitos de comparação, uma avenida de tráfego intenso gera entre 70 a 90 db de ruído). O Plenário aprovou ainda emenda do deputado Sandro Alex (PPS-PR) que limita o número de fiscais por partido a dois em cada seção eleitoral.
Atualmente, a lei não impõe limites. Na semana passada, por meio de destaque do PMDB em apoio ao PSol, o Plenário retirou do texto uma das mudanças mais polêmicas, que permitia a empresas concessionárias ou permissionárias de serviço público doarem recursos às campanhas indiretamente, por meio de subsidiárias, por exemplo.
Esse destaque também retirou a possibilidade de doações das associações sem fins lucrativos cujos associados não fossem concessionários ou permissionários de serviços públicos nem beneficiados com recursos públicos. Emenda do deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) aprovada pelo Plenário na semana passada limita a prestação do parcelamento de multas eleitorais a 10% da renda da pessoa. A intenção do deputado é evitar o comprometimento da renda. 
Da Agência Câmara
Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

TSE libera propaganda eleitoral antecipada no Twitter

Diário do Poder
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu liberar propaganda eleitoral antecipada por meio da rede social Twitter. Por maioria de votos, os ministros reviram decisão do tribunal que, no ano passado, proibiu manifestação política de candidatos e partidos fora do período permitido pela lei eleitoral – três meses antes do primeiro turno do pleito.
Na sessão de ontem (12), o TSE julgou recurso do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), que recorreu de multa aplicada pela Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte. Ele foi multado por ter postado em sua conta do Twitter mensagens de líderes políticos favoráveis a sua pré-campanha à prefeitura de Natal, nas eleições do ano passado.
Cinco dos sete ministros do TSE seguiram o voto de Dias Toffoli e entenderam que as mensagens trocadas entre os participantes da rede social são restritas aos usuários que desejam receber as manifestações, não se tratando de meio de comunicação de massa, como televisão e rádio. “Não há como falar em propaganda eleitoral por meio de Twitter, uma vez que essa rede social não leva ao conhecimento geral e indeterminado as manifestações nela divulgadas”, afirmou Toffoli. 
O voto de Dias Toffoli foi seguido pelos ministros Carmen Lúcia e Castro Meira, Luciana Lóssio, Admar Gonzaga, integrantes mais novos do TSE. Marco Aurélio e Laurita Vaz votaram a favor da manutenção da multa ao candidato, por considerarem que as mensagens configuravam propaganda eleitoral antecipada.

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Champignon do Charlie Brown Jr se mata com tiro, seis meses após morte de Chorão

O músico Champignon do Charlie Brown Jr. foi encontrado morto em seu apartamento, no bairro do Morumbi, na zona sul de São Paulo (SP), na madrugada desta segunda-feira (9), com um tiro de pistola 380. A polícia acredita que Luiz Carlos Leão Duarte Junior – nome completo do músico de 35 anos – cometeu suicídio. 
A Polícia Científica apura o caso, que acontece cerca de seis meses depois da morte de Chorão, amigo de infância e parceiro com quem Champignon teve desentendimentos na banda Charlie Brown Jr. Por volta das 4h50, o Instituto Médico Legal (IML) retirou o corpo do edifício. 
Natural de Santos (SP), ele foi o baixista da formação original do grupo Charlie Brown Jr., de grande sucesso na década de 90 e início dos anos 2000. Após desentendimentos do próprio Champignon e outros integrantes com o vocalista Chorão, a banda teve a trajetória interrompida em 2005. 
Na continuação da carreira, Champignon investiu em projetos paralelos e integrou as bandas revolucionários e Nove Mil Anjos. Em 2011, retornou ao Charlie Brown Jr. e tocou com os antigos companheiros de trabalho até 6 de março de 2013, quando Chorão foi encontrado morto por conta de uma overdose em um apartamento em São Paulo. Após o incidente, Champignon se dedicou ao grupo A Banca, com o qual trabalhou até a morte.
Chorão 
O músico Alexandre Magno Abrão, mais conhecido como Chorão, vocalista da banda Charlie Brown Jr., foi encontrado morto, em casa, no bairro de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, na madrugada de uma quarta-feira. O motorista do cantor o encontrou desacordado e telefonou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas já era tarde. Chorão tinha 42 anos. 
Com informações BK2

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.