Falta de infraestrutura é motivo de reclamação em Santa Inês

Em Santa Inês, no Vale do Pindaré, moradores reclamam de um problema antigo: a buraqueira. A falta de infraestrutura nas ruas atinge tanto o centro quanto os bairros mais afastados da cidade.

Na Rua Pedro Teixeira, no bairro Santo Antônio, há tempos a situação é complicada. Como a movimentação de veículos é intensa, o trânsito, consequentemente, fica bastante complicado. Na Rua do Fio, no bairro Palmeira, foi até preparada para receber o asfalto, mas a obra não foi concluída e, em poucos dias, os buracos reapareceram trazendo, ainda, muito poeira.

Durante o período chuvoso, de janeiro até o mês de abril deste ano, as ruas ficaram intrafegáveis. Quem tentava passar acabava ficando atolado. “Nos bairros mais longes do Centro eu não vou mais poder ir buscar as pessoas. Mesmo as pessoas me ligando, e me ligam, não vai ter como, porque é buraco por cima de buraco”, lamenta o taxista, Clécio Catingueiro.

Por telefone, o secretário de obras de Santa Inês, Lourival Silva Santos, disse que estão sendo feitas, na medida do possível, operações tapa-buracos. Quanto à recuperação das ruas, onde foi feita a implantação do sistema de esgoto, o secretario afirmou que cabe à empresa responsável pela obra fazer a recuperação.

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Professores municipais de Santa Inês realizam paralisação de advertência

Os docentes da rede municipal da cidade maranhense de Santa Inês, a 250 km de São Luís, irão realizar, na próxima terça-feira (11), uma paralisação de advertência. A decisão que foi tomada pelo Sindicato dos Profissionais na Educação Pública do Maranhão (Simproessema) terá duração de 12 horas.

De acordo com informações dos professores, a categoria exige da Prefeitura de Santa Inês o cumprimento de acordos firmados anteriormente. Dentre eles, destaque para a implementação do Plano de Cargos, Salários e Carreira dos profissionais da Educação, a elaboração do Plano Municipal de Educação, além das melhores condições de trabalho e segurança nas unidades escolares.

Ainda conforme os professores municipais, caso as suas exigências não sejam cumpridas após este primeiro ato de advertência, eles iniciarão um movimento grevista por tempo indeterminado.

A reunião que decidiu pela paralisação de advertência dos educadores de Santa Inês foi realizada na última quinta-feira (6), no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade.
Do G1

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.

Em Santa Inês, policial atira contra a esposa e depois recorre ao suicídio

Em Santa Inês, uma briga de casal acabou em tragédia. Um policial militar usou a própria arma para atirar na mulher e depois se matar. A polícia disse que o casal tinha crises conjugais constantes e estava há alguns meses separado.
O encontro em um motel na noite de quinta-feira (7) foi uma tentativa de reconciliação. Segundo a investigação, por volta das 23h, após uma discussão, o homem acabou atirando três vezes. Duas balas atingiram a mulher. Em seguida, disparou contra a própria cabeça.
O policial morreu na hora. Já a mulher, identificada como Rejane Rego da Silva, de 29 anos, foi socorrida e levada para o Hospital Tomás Martins, onde recebeu os primeiros atendimentos. Em seguida, foi transferida para o Hospital Geral de Monção, onde passou por cirurgias para a retirada das balas. 
Aristóteles Silva do Nascimento, de 33 anos, era policial militar e atualmente estava fazendo parte do destacamento de Bela Vista. No dia do crime, ele não foi trabalhar. A arma usada no local está em poder da Polícia Militar, no 7º Batalhão, em Pindaré. A polícia suspeita que o casal estaria consumindo drogas. 

Do G1

Não sabe como comentar? Clique aqui e aprenda, é muito fácil! Também siga o blog do Marcos Leite no Twitter e curta nossa página no Facebook.