Poeta Marcos Leite é o mais jovem membro da ALEAT e sai em jornal

Nesta quinta,24 de junho,saiu no Jornal Tribuna regional,um artigo na 2ª pagina,sobre o Poeta Marcos Leite,Membro da Academia de Letras do Alto Turi é estudante voluntário da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de Governador Nunes Freire.
O seguinte artigo dizia: “A partir desta edição,estaremos dedicando esta coluna para que os membros da academia de letras do lato turi(ALEAT) possam expor seus trabalhos,divulgando-os e levando para um maior numero de pessoas,a essência de suas obras.
Abrimos essa coluna inicialmente com duas poesias de autoria do poeta Raimundo Marcos Farias Leite,ocupante da cadeira de nº. 12 da ALEAT. O seu interesse pela literatura,em especial pela poesia,se traduz nessa sua citação “Foi pela beleza de entendermos as razões de tantas coisas em nossa vida,onde no decorrer do tempo encontramos dores e alegrias. Até conhecer o nosso intimo(a nossa alma) somos obrigados a viver entre essas tristezas,dores e solidão,que até então para mim a tristeza,a dor e a solidão é a melhor inspiração do poeta depois do amor,pois,quem não ama;quem não sente tristeza e solidão,não é poeta!”.
Marcos Leite é o mais jovem membro da ALEAT,e com essa sua arte de poetizar,quer levar a sua poesia ao publico jovem,na intenção de,dessa forma incentivar aos tais poetas ocultos da região do Alto Turi,a se mobilizarem e mostrarem a sua arte.

Os seguintes poemas foram publicados:


Poeta da alma I

Gritos eu escuto dentro do meu ser,
Soam fortes que vão além da alma,
A vida que eu vivo é difícil de entender,
Pois com a angústia faço minha calma.

Sentimentos profundos estou a recitar,
Emoções eu escrevo do mais intimo do ser,
Um poeta estar em mim com esse amar,
O amar pelas palavras, e pelo viver.

As dores que sinto me fazem aprender,
As palavras da alma é minha vida,
Sem elas não sou poeta, não sei viver.

Sem as palavras da minha calma,
Eu não sabia viver como sei agora,
Eu não seria esse poeta da alma.

MARCOS LEITE

A menina dos olhos cor de rosa

Menina como eu te quero aqui perto de mim,
Vejo-te passar neste jardim de lindas rosas,
E nada encontro pra demonstrar minha paixão,
Apenas tenho esses versos de um poeta menino.

Vejo teus olhos, tão lindos e apaixonantes,
Parecem falar algo pra mim, amor? Não sei!
Cor de rosa os vejo a brilhar para mim,
A cor da menina que estar dentro de ti.

Esses gritam algo que não consigo escutar,
Oh!Como teus olhos são reluzentes,
Parece uma bela rosa de um jardim,
Que entre amores vive a encantar.

Ah!Como queria teus lábios nos meus,
Correr entre esse jardim, entre essas rosas,
Mas o melhor é admirar você, meu amor,
Minha menina dos olhos cor de rosa.

MARCOS LEITE

Historia de Governador Nunes Freire-MA PARTE 2

História e aspectos socioeconômicos

A criação de nosso município iniciou na década de 1960, com a chegada dos primeiros moradores, oriundos de várias partes do Maranhão, e de outros estados, tais como: Paraná, Pará, Ceará Piauí e outros… Estes fixaram moradia, atraídos pela fertilidade da terra. Eles foram os desbravadores do município de Nunes Freire.
Segundo moradores mais antigos o município iniciou sua formação mais precisamente em 1961, quando o primeiro morador, o senhor Pedro Pitomba e sua família chegaram por estas terras, implantando um pequeno engenho de cana-de-açúcar. O Pioneiro construiu sua casa de taipa coberta de cavacos, como a maioria das primeiras casas. Em 1965 foi instalada e posta em funcionamento a linha de trafego que ligava a baixada maranhense ao Pará e formava uma encruzilhada com a BR-316, motivo que levou o senhor Sebastião Araújo da Silva (Sebastião Boxa), segundo seu próprio relato, a batizar o lugar com o nome de Encruzo. Foi ele também quem plantou a primeira roça do povoado, onde hoje é o bairro JK (Belenzinho). O movimento pela emancipação de Encruzo teve inicio nos anos 90 e teve como principais líderes, deputado Carlos Braide, Nonato Holanda, Dr. Brênio, entre outros. Em 19 de Junho de 1994 aconteceu a consulta plebiscitária, o que constatou que quase 100% da população estavam a favor da emancipação política do município.
Conforme o Diário Oficial, Encruzo foi emancipado numa quinta-feira, 10 de novembro de 1994, pela Lei Estadual n. 6.174 recebendo o nome de Governador Nunes Freire, pertencente à mesorregião oeste maranhense. Na microrregião do Gurupi, na BR-316. O município tem como área territorial 1.037, 121 Km², limitando-se ao norte com Cândido Mendes, ao leste com Turilândia, ao sul com Maranhãozinho, a oeste com Godofredo Viana e Maracaçumé.
O clima equatorial quente-úmido sofre forte influência da região amazônica, e a bacia dos rios Macaxeira e Maracaçumé. A principal atividade econômica é a exploração de madeira, existindo no município serrarias, gerando empregos diretos e indiretos.
A agricultura é de subsistência, predominando as culturas de arroz, feijão, milho, mandioca e açaí. Na pecuária a criação de aves e bovinos. Na piscicultura , peixes são criados em açudes na zona rural. A industria consiste basicamente nas usinas de beneficiamento de arroz e em serrarias que beneficiam a madeira abundante na região. O comercio oferece produtos como medicamentos, gêneros alimentícios, confecções, armarinhos e outros.

Historia de Governador Nunes Freire-MA

Histórico

Fica criado, pela Lei Nº 6.174, de 10 de novembro de 1994, o município de Governador Nunes Freire, com sede no Povoado de Encruzo, a ser desmembrado do município de Cândido Mendes, subordinado à Comarca de Cândido Mendes.O município de Governador Nunes Freire limita-se ao Norte com o município de Cândido Mendes; a Leste com o município de Turilândia; a Oeste com os municípios de Godofredo Viana e Maracaçumé e ao Sul com o município de Maranhãozinho.

Localização
End. da Prefeitura: Rua do Evangelho, S/N – Centro – 65284000
Telefone: (98) 371-1942/1907 – FAX: 371-1318 / 1158